Início Saúde Oswaldo Eustáquio denuncia fraude nos registros de óbito por covid-19 no país

Oswaldo Eustáquio denuncia fraude nos registros de óbito por covid-19 no país

Apesar dos exames apresentarem resultados negativos, inúmeras mortes têm sido registradas como 'infecção por coronavírus'

-

Com o número de mortos por Covid-19 no Brasil chegando a marca de quase 125 mil pessoas. O jornalista Oswaldo Eustáquio denuncia os inúmeros equívocos nos registros de óbito por todo o país. Através de documentos e relatos de parentes das vítimas, o jornalista busca provar que a nação brasileira está sendo enganada por números inflados pela mídia.

De acordo com os registros apresentados em seu último vídeo, enquanto certidões de óbito registram a causa mortis como ‘infecção por coronavírus’, os exames sorológicos e RT-PCR apresentam resultados negativos ou inconclusivos. É o caso do paciente Rubens da Rosa Silveira (76) do Rio Grande do Sul, atestado como negativo em dois exames, mas registrado em certidão de óbito como positivo para coronavírus.

Os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pará, Pernambuco, Ceará e Bahia, comandados por governos de esquerda, conforme destaca Oswaldo, representam 63% das mortes por covid no Brasil. O governo federal enviou cerca de R$ 16 bilhões para os estados para o enfrentamento do surto.

O jornalista critica a ganância de governadores, que na busca por recursos públicos, orientam a fraude de atestados de óbito para covid-19, enquanto os pacientes são vítimas de outras doenças ou complicações. A negociação também é vantajosa para os próprios hospitais. O valor da diária de internação para atendimento de pacientes com covid-19 foi dobrada, de R$ 800,00 para R$ 1.600,00.

Covidão

Conforme o número de casos aumentaram no Brasil, passou ser investigado esquemas de corrupção envolvendo dinheiro público destinado ao combate do coronavírus. Desde abril, foram deflagradas pela Polícia Federal pelo menos 42 operações do chamado Covidão, que investigado esquemas de corrupção envolvendo dinheiro público destinado ao combate do coronavírus.

As ações levaram às prisões do Secretário de Saúde do Distrito Federal, Francisco Araújo, de políticos, do Secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Edmar Santos, e o afastamento do governador Wilson Witzel do cargo. Ações da PF também foram executadas no Pará e no Amazonas, conforme destaca Oswaldo Eustáquio.

“Sem dúvida o Covidão será lembrado como maior esquema de corrupção da história do Brasil. Não se trata apenas de prejuízo financeiro, mas de mortes que poderiam ser evitadas, se não fosse a ganância daqueles que deveriam servir o povo”, lamenta o jornalista.

Vítimas

Entre as vítimas, está Rosemeire Peixoto do Nascimento (69), que enfrentava um câncer e chegou no hospital com desconforto abdominal e acabou falecendo. Sem exames, a médica do Hospital Mário Covas em São Paulo, Isabela Valdete, atestou óbito por covid-19. O filho, Anderson Peixoto, exigiu que fossem realizados os exames mesmo pós morte. Entre os três teste aplicados pelo hospital, todos deram inconclusivos, ou seja, sem detecção do vírus.

Assim como Ana Maria Princival (93), que possuía problemas no coração e passou por duas paradas cardíacas e veio a falecer. No atestado de óbito, mais uma vez registrou-se causa como covid-19. A reportagem teve acesso a três exames da paciente, que deram negativo para coronavírus. Questionados pela filha da paciente, Maria Eugênia, a equipe médica confirmou a não detecção do vírus e admitiu que o registro foi uma opção.

“Não pude ver nem o caixão dela, não pude vestir uma roupa, colocar um flor. Não sei porque colocaram ‘covid positivo’ quando estava dando negativo. Fizeram comércio com o corpo da minha mãe”, diz a filha inconformada.

Estatística

Segundo a reportagem, a média de crescimento dos casos de pneumonia é 9% ao ano, considerando uma análise dos últimos 5 anos. De janeiro a março de 2020, houve mais morte por pneumonia em comparação ao mesmo período em 2019, conforme a expectativa da média de crescimento. A partir de março deste ano, as mortes por pneumonia diminuíram quase 30%, assim como outras doenças ou infarto e AVC, por exemplo que também tiveram queda abrupta.

WhatsApp Receba as notícias do Relevante