Nobel de Medicina vai para pesquisas sobre adaptação de células ao oxigênio

A descoberta pode ajudar no desenvolvimento de tratamentos futuros para problemas como anemia e câncer

Jonathan Nackstrand/AFP

Foi anunciado, ontem (7), o Prêmio Nobel de Medicina de 2019 dedicado aos responsáveis pela descoberta de como as células humanas sentem e adaptam-se a disponibilidade de oxigênio no ambiente.

Os pesquisadores laureados, William Kaelin e Gregg Semenza, dos EUA, e Sir Peter Ratcliffe, do Reino Unido, uniram seus conhecimentos de anos de pesquisa para entender a base das respostas adaptativas das células e como elas afetam o metabolismo.

Essa compreensão pode ajudar no desenvolvimento de novos tratamentos no futuro para problemas como anemia, câncer e outras doenças. Os organizadores do evento destacaram através do Twitter a importância desse resultado para o futuro da medicina: “Suas descobertas também abriram o caminho para novas estratégias promissoras para combater a anemia, o câncer e muitas outras doenças.”

A cerimônia oficial com os vencedores desta e outras categorias do Nobel acontecerá no dia 10 de dezembro, na Suíça, e os três cientistas dividirão igualmente a quantia de 9 milhões de coroas suecas (aproximadamente R$3,7 milhões).

com informações Folha*