Governo encomenda 100 milhões de doses da vacina de Oxford

Já na última fase de testes, o 1º lote deve chegar em dezembro

418
Reprodução/Franklin de Freitas

O governo federal já encomendou 100 milhões de unidades da vacina experimental para a covid-19 da AstraZeneca, desenvolvida na Universidade de Oxford, no Reino Unido. O anúncio foi dado, ontem (28), pelo secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros.

Já em fase final de testes, o primeiro lote com 15 milhões de doses está previsto para chegar em dezembro deste ano caso a imunização seja comprovada como eficaz e segura. Os primeiros grupos a receberem a medicação serão os idosos com comorbidades e os profissionais da saúde da linha de frente.

De acordo com o cronograma, o segundo lote com a mesma quantidade deve ser recebido em janeiro e a partir de março, as outras 70 milhões de unidades chegarão em lotes sequenciais.

“Muito em breve, se tudo der certo, nós teremos a vacina em dezembro com a ajuda de Deus e o esforço e trabalho de toda comunidade científica”, disse em entrevista à CNN Brasil.

O secretário ainda ressaltou que o Brasil tem possui um acordo com entre a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), a Universidade de Oxford e a AstraZeneca que garante a transferência da tecnologia do medicamento. E desse modo, o país produzir a vacina em território nacional, na fábrica Bio-Manguinhos, da Fiocruz.

Outra vacina também está sendo desenvolvida nacionalmente em parceria com a empresa chinesa Sinovac. O acordo foi firmado pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), com apoio do Instituto Butantan. A produção deve ser entregue em janeiro de 2021.