Alexandre Garcia e médicos desmistificam tratamento precoce para Covid-19

Em live de emergência, um grupo de médicos falam sobre a realidade que vivenciam no combate a patologias como o novo coronavírus

5676
Reprodução/Youtube

O jornalista Alexandre Garcia promoveu uma live, no último sábado (27), com a presença de médicos para discutir sobre a realidade que enfrentam nos centros de saúde para combate a pandemia do novo coronavírus.

A conversa pautada em aspectos científicos e práticos, rejeitou a politização do tema. Ao contrário, demonstrou que segundo a vivência desses médicos o uso profilático (preventivo) da hidroxicloroquina associada a azitromicina podem salvar vidas de milhares de pessoas contaminadas com a Covid-19.

Pelo Twitter, Alexandre compartilhou a live e escreveu: “Um timaço de médicos mostra que o tratamento precoce pode salvar a sua vida. Os casos de Porto Feliz e Belém. A ciência de quem está ao lado do paciente. A solução barata, óbvia e simples para a epidemia. Interessa a prefeitos e governadores.”

O movimento de médicos, reúne profissionais de todo o Brasil, que defendem o uso preventivo. A Dr. Carine Petry, é a idealizadora do projeto no Distrito Federal e fala sobre o tratamento precoce contra a covid 19.

“Há muito tempo, nós médicos sempre falamos que o ideal quando temos uma patologia, uma doença, é intervir precocemente. Isso é verdade para problemas relacionados ao câncer, para problemas cardiovasculares, e isso também é verdade para a Covid-19.”

A Dra. Petry alerta que a orientação para busca de atendimento médico somente após os sintomas de falta de ar, é arriscado devido o potencial de evolução rápido e intenso da doença. Em muitos casos, o pulmão já pode estar comprometido. Segundo o grupo, o objetivo do movimento é evitar a evolução da doença e a perda de vidas, bem como o colapso do sistema de saúde.

O tratamento precoce prevê a aplicação do medicamento baseado no quadro clínico do paciente ao identificar os sintomas por até 5 dias, ou seja, sem que seja necessário ficar aguardando o resultado de testes devido o tempo que demanda esse processo, o custo e porque 38% dos testes RtPCR nasal indicam falso negativo, informa a Petry.

Participaram do encontro, junto a Alexandre Garcia, os especialistas: Dra. Carina Petry; Dra. Luciana Cruz; Dr. Anthony Wong; Dr. Roberto Zeballos; Dr. Cássio Prado; Dra. Alexandra Mesquita; Dra. Nise Yamaguchi; Dr. Paulo Guimarães; Dr. Glauco Rogério; Dra. Rute Costa e Dr. Hercília Pimenta.

Confira a live completa no #RelevantesNews