Início Política STF exclui delação de Palocci de processo contra Lula

STF exclui delação de Palocci de processo contra Lula

Gilmar Mendes criticou o ex-juiz Sergio Moro por não agir com a imparcialidade esperada de um magistrado

-

A delação do ex-ministro Antonio Palocci no processo da Operação Lava Jato que investiga o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi removida dos autos, nesta terça-feira (4), por determinação da 2ª Turma do Supremo Tribunal Federal por 2 votos a 1.

Lula é réu por recebimento de propina, disfarçada em doações de dois imóveis, da empreiteira Odebrecht em troca de contratações irregulares da Petrobras.

O ministro Edson Fachin, relator do caso, negou o pedido de desentranhamento enquanto Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski votaram a favor por entenderem que a determinação do então juiz Sérgio Moro para incluir a delação de Palocci nos autos após o fim da fase de instrução processual, foi ilegal. Celso de Mello e Cármen Lúcia, estavam ausentes do julgamento.

Gilmar Mendes criticou o ex-juiz Sergio Moro por não agir com a imparcialidade esperada de um magistrado. O sigilo do documento em que consta o depoimento de Palocci foi retirado seis dias do primeira turno da eleição presidencial de 2018. Para Gilmar, Moro quis criar um “fato político” contra Lula.

“Verifica-se que o acordo foi juntado aos autos da ação penal cerca de três meses após a decisão judicial que o homologara. Essa demora parece ter sido cuidadosamente planejada pelo magistrado para gerar verdadeiro fato político na semana que antecedia o primeiro turno das eleições presidenciais de 2018″, argumentou Gilmar Mendes.

FONTEUOL
WhatsApp Receba as notícias do Relevante