Início Política Punição a Deltan Dallagnol repercute entre senadores

Punição a Deltan Dallagnol repercute entre senadores

Parlamentares criticam pena de 'censura' pela manifestação do procurador contra a eleição de Renan Calheiros (MDB-AL) para a presidência do Senado, em 2019

-

A pena de censura contra o procurador da República Deltan Dallagnol, decidida ontem (8) pelo Conselho Nacional do Ministério Público, repercutiu entre os senadores. O procurador, que foi coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba (PR), foi punido por manifestar-se em rede social, em 2019, contra a eleição de Renan Calheiros (MDB-AL) para a presidência do Senado.

Autor da ação que resultou na punição, Renan Calheiros afirmou que a decisão representou uma punição branda diante da “odiosa perseguição” que teria sido promovida contra ele por Deltan. Em mensagem no Twitter, o senador alagoano afirmou que o procurador teria feito “campanhas políticas opressivas, postagens fakes, investigação sem prova” para torná-lo um “multi-investigado”.

Renan afirmou que mais de dois terços das investigações teriam sido derrubados pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e prometeu entrar com uma ação civil contra o procurador para reparação de danos morais.

Repercussão

A noticia da punição também foi reproduzida no Twitter pelo o senador Major Olimpio (PSL-SP), que criticou a punição e manifestou indignação. Segundo ele, é um “o verdadeiro absurdo” a pena de censura imposta pelo Conselho Nacional do Ministério Público.

“Gilmar Mendes desfez decisão de Celso de Mello para que fosse julgado. Está em curso uma arquitetura pra enterrar a Lava Jato. Lamentável. O rato está pondo a culpa no queijo”, publicou Major.

O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) destacou que, como consequência da medida, “o ex-coordenador da Lava Jato não poderá ser promovido durante um ano”.

Já o senador Eduardo Girão (Podemos-CE) declarou que a pena de censura contra o procurador é resultado de uma “perseguição a Deltan que ocorre há muito tempo”. Ele também disse que isso é sinal inequívoco do “crime reagindo”. Em publicação no Twitter, Girão ressaltou que a Lava Jato sob a coordenação de Deltan “fez o certo, brigou pela justiça, prendeu poderosos e políticos corruptos”.

WhatsApp Receba as notícias do Relevante