‘Moraes, seu covarde, você não vai me calar’, diz Sara Winter

Ativista de direita foi um dos alvos dos mandados de busca e apreensão no inquérito das fake news

639
Reprodução

A ativista de direita, Sara Fernanda Giromini, conhecida como Sara Winter, foi um dos alvos dos 29 mandados de busca e apreensão, determinados pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

A operação está relacionada ao inquérito das fake news. No Twitter, ela reivindica seu direito à livre expressão e ao afirmar que não irá se calar, chama o ministro Alexandre de “covarde”.

“A Polícia Federal acaba de sair da minha casa. Bateram aqui às 6h da manhã a mando do Alexandre de Moraes. Levaram meu celular e notebook. Estou praticamente incomunicável! Moraes, seu covarde, você não vai me calar”, escreveu.

Sara Winter é uma das líderes do movimento pró-governo “300 do Brasil”. Os manifestantes montaram um acampamento desde o dia 1º de maio na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, em apoio ao presidente Jair Bolsonaro.

Agentes da PF realizam buscas no Distrito Federal, Rio de Janeiro, São Paulo, Mato Grosso, Paraná e Santa Catarina. A operação também mira o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB); o deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP); o empresário Luciano Hang; e o blogueiro Allan dos Santos.