Início Política Mendes defende ato de Celso de Mello sobre inquérito contra Bolsonaro

Mendes defende ato de Celso de Mello sobre inquérito contra Bolsonaro

“O envio de notícia-crime por Ministro do STF à PGR é ato meramente formal, que não contém nenhuma antecipação do Tribunal sobre os fatos”, disse em sua rede social

-

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, usou sua rede social para se posicionar sobre o envio de uma notícia-crime à PGR que pede apreensão do celular do presidente Bolsonaro. A petição formulada pelos partidos PDT, PSB e PV gerou intensa reação no âmbito político.

Na última semana, o ministro Celso de Mello encaminhou o pedido dos partidos ao procurador-geral da República, Augusto Aras. A medida foi alvo de críticas do ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), general Augusto Heleno, que considerou que a ação pode ser “uma afronta”.

“O pedido de apreensão do celular do presidente da república é inconcebível e, até certo ponto, inacreditável. Caso se efetivasse, seria uma afronta à autoridade máxima do poder Executivo e uma interferência inadmissível de outro poder na privacidade do presidente da república e na segurança institucional do país”, disse o ministro Augusto Heleno-como noticiou o G1.

Depois da repercussão, Mendes se manifestou em sua conta oficial do Twitter: “O envio de notícia-crime por Ministro do STF à PGR é ato meramente formal, que não contém nenhuma antecipação do Tribunal sobre os fatos. É despacho de rotina que segue o rito do art. 230-B do RISTF. Não podemos distorcer o significado de um ato jurídico meramente ordinatório.”

FONTEUOL
WhatsApp Receba as notícias do Relevante