Distritais querem anular plano de saúde vitalício para ex-deputados

Projeto que ampliou o uso do benefício foi aprovado ontem (20), na CLDF, e gerou indignação da população nas redes sociais

217
Reprodução/Estadão Conteúdo

A aprovação do projeto de Resolução nº 40/2020 que amplia a cobertura do plano de saúde de forma vitalícia para ex-deputados distritais gerou impasse na Câmara Legislativa do Distrito Federal. Alguns parlamentares alegam que não tiveram conhecimento sobre a íntegra do projeto.

Antes da ampliação, o convênio da CLDF assegurava o plano pelo período de até dois anos após o fim do mandato. Com a alteração no Fundo de Assistência à Saúde da Câmara (Fascal), ex-parlamentares e seus familiares (cônjuge, filhos, enteados e irmãos, se portador de invalidez), também podem ter acesso ao convênio.

Após a votação, a deputada Júlia Lucy comentou em sua conta oficial do Twitter que uma emenda foi apresentada antes da votação.

“Ontem, a CLDF aprovou um absurdo projeto que prevê plano de saúde vitalício para ex-deputados distritais e seus familiares. A sua aprovação se deu por meio de uma manobra regimental, com a inclusão de uma emenda na calada da noite, por isso, fui induzida ao erro”.

Outros parlamentares também pediram a revisão da sessão remota. A deputada informou que solicitou a anulação da votação. “Devido ao total desrespeito às regras regimentais, que levou a aprovação do plano de saúde vitalício para ex-deputados distritais, acabo de impetrar mandado de segurança no Tribunal de Justiça do Distrito Federal para anular a votação”, disse.