Início Política Bolsonaro critica Globo por “festejar” 100 mil mortes por covid-19 no Brasil

Bolsonaro critica Globo por “festejar” 100 mil mortes por covid-19 no Brasil

Presidente aponta covardia da emissora em fazer uso político da pandemia para culpá-lo pelos óbitos do povo brasileiro

-

O presidente Jair Bolsonaro criticou a TV Globo por “festejar” a marca de 100 mil mortos por covid-19 no Brasil ontem (9). Apesar de não destacar o nome da emissora, Bolsonaro afirma que a rede agiu de forma covarde e desrespeitosa buscando culpá-lo pelos óbitos do povo brasileiro.

“De forma covarde e desrespeitosa aos 100.000 brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos”, escreveu pelo Twitter.

Ao contrário de prestar um serviço social para a nação, segundo o presidente o trabalho de jornalismo realizado nos últimos meses teve apenas a função de espalhar “o pânico na população e a discórdia entre os Poderes.”

Na mensagem ele destacou que “a desinformação mata mais até que o próprio vírus” e relembrou o deboche referente ao uso da hidroxicloroquina e desestímulo a sua aplicação que “mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros”.

“O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da COVID por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas”, completou.

Confira o depoimento completo do presidente Jair Bolsonaro:

No Reino Unido, o Departamento de Saúde estima que 16 mil pessoas morreram das mais diversas formas, por não terem acesso ao Sistema de Saúde, devido à pandemia, enquanto 25 mil morreram de Covid-19.

Conclui-se que o Lockdown matou 2 pessoas pra cada 3 de Covid no Reino Unido. No Brasil, mesmo ainda sem dados oficiais, os números não seriam muito diferentes. Lamentamos cada morte, seja qual for a sua causa, como a dos 3 bravos policiais militares executados em São Paulo.

Quanto à pandemia, não faltaram recursos, equipamentos e medicamentos para estados e municípios. Não se tem notícias, ou seriam raras, de filas em hospitais por falta de leitos UTIs ou respiradores.

Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes.

No mais, essa mesma rede de TV desdenhou, debochou e desestimulou o uso da Hidroxicloroquina que, mesmo não tendo ainda comprovação científica, salvou a minha vida e, como relatos, a de milhares de brasileiros.

A desinformação mata mais até que o próprio vírus. O tempo e a ciência nos mostrarão que o uso político da Covid por essa TV trouxe-nos mortes que poderiam ter sido evitadas.

De forma covarde e desrespeitosa aos 100 mil brasileiros mortos, essa TV festejou essa data no dia de ontem, como uma verdadeira final da Copa do Mundo, culpando o Presidente da República por todos os óbitos.

Estão com saudades daqueles governantes que sempre os colocavam como prioridade ao fazer o Orçamento da União, mesmo sugando recursos da saúde e educação.

DEUS, PÁTRIA e FAMÍLIA.

Confira a reportagem do Jornal Nacional

View this post on Instagram

Ontem (8), a edição do Jornal Nacional, começou destacando que o Brasil chegou à marca de 100 mil mortos por covid-19. E ressaltou ainda que, a saúde, segundo a Constituição é um direito de todos. E todos os governantes têm a obrigação de proporcionar a população este direito. A edição fez questão de atacar o presidente Jair Bolsonaro. Em nenhum momento citaram os desvios criminosos de verbas públicas pelos governadores avalizados pelo STF. E também não falaram das visitas do “Uber Black” da PF nas casas de secretários de saúde recheadas de dinheiro roubado. Também esqueceram de falar das orientações desencontradas e controversas do suspeito diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS). Tampouco, citaram o erro crucial de estratégia do seu “correspondente especial” Mandetta. Não mencionaram que o Brasil está em 12° lugar em número de mortes por milhão/habitantes, atrás de países de primeiro mundo como EUA, Espanha e Itália. Não comentaram que, apesar de todo o dinheiro desviado, dos hospitais de campanha (eleitoral) superfaturados que sequer entraram em operação, dos respiradores inadequados comprados até em puteiros e casas de vinhos, da criminosa campanha (principalmente da Globo) contra a Hidroxicloroquina e principalmente de toda torcida à favor do vírus, o Brasil detém o MELHOR ÍNDICE DE CURADOS DO MUNDO. O Brasil recuperou cerca de 70% dos infectados, enquanto o 2° lugar EUA ficou em torno de 51%. Não citaram as denúncias de falsas atribuições à COVID-19 de outras causas de morte. Também não explicaram porque alguns índices ficaram bem abaixo do mesmo período no ano passado, como por exemplo o da pneumonia, cujas mortes devem ter ido em parte, pra conta da covid-19. Eles só atribuíram a Bolsonaro a culpa das 100 mil mortes. Vão servir de cabo eleitoral da oposição, utilizando o túmulo dessas pessoas como palanque político. É deplorável o fim agonizante dessa rede de desinformação chamada Globo. Nelson Fonseca (Colunista) @nelsonfonseca60 #brasil #saude #jornalnacional #covid19 #coronavirus

A post shared by Relevante News (@relevante_news) on

WhatsApp Receba as notícias do Relevante