Início Política Amoêdo defende inquérito das fake news enquanto partido Novo pede pela suspensão

Amoêdo defende inquérito das fake news enquanto partido Novo pede pela suspensão

Fundador da legenda considera: “Não podemos confundir calúnia, difamação e intimidação, feita de forma sistemática, orquestrada e profissional, inclusive com financiamento, com liberdade de expressão. É disso que se trata o inquérito em curso no STF”

-

O político João Amôedo, fundador do Partido Novo, usou suas redes sociais para se posicionar sobre o inquérito das fake news. Ao compartilhar um artigo do advogado Eugênio Pacelli, Amôedo defende que não se pode “confundir calúnia e difamação com a liberdade de expressão”.

Sobre o artigo intitulado de “Em defesa do STF e dos Tribunais”, o político considera: “O artigo […], de um dos maiores processualistas brasileiros, rebate de forma simples e clara a tese de que o Supremo está agindo contra a Constituição.”

“Não podemos confundir calúnia, difamação e intimidação, feita de forma sistemática, orquestrada e profissional, inclusive com financiamento, com liberdade de expressão. É disso que se trata o inquérito em curso no STF”.

No entanto, recentemente, o Partido Novo pediu participação em uma ação contra o inquérito das fake news. No pedido, a legenda questiona: “se o inquérito não deveria ter sido instaurado somente após requerimento do Procurador-Geral da República, e de proporcionalidade da medida, é dizer, se o combate às fake news no âmbito desse inquérito está observando os limites do estritamente necessário, sem invadir a esfera de proteção da liberdade de expressão, garantida na Constituição Federal, notadamente nos incisos IV e IX do art. 5º”.

- Advertisment -
WhatsApp Receba as notícias do Relevante