Senador dos EUA acusa CNN de ser ligada ao Partido Comunista da China

Emissora deletou reportagem pela qual foi acusada de fazer “propaganda chinesa”

13608
Reprodução/Flickr

O senador republicano Ted Cruz, da cidade do Texas, acusou o repórter Jim Acosta, da emissora CNN, de ter ligações com o Partido Comunista da China. O jornalista publicou uma matéria em defesa do Exército Popular de Libertação chinês após críticas do presidente Donald Trump sobre as ações de combate à pandemia do coronavírus.

Depois de uma intensa reação, a reportagem foi modificada pela CNN para demonstrar ceticismo sobre as alegações da China. Porém, pelo Twitter, Acosta declarou que Trump estaria responsabilizado “bodes expiatórios” pela crise de covid-19 nos Estados Unidos.

“Bodes expiatórios culpados por Trump pela pandemia de coronavírus: Organização Mundial da Saúde, membros da mídia, democratas no Congresso, governadores (não ele próprio). Outros bodes expiatórios culpados por Trump: China, administração Obama”, escreveu o jornalista.

E em resposta o senador Ted Cruz afirmou que ele deveria realizar um trabalho jornalístico e “não propagandista do Partido Comunista Chinês (PCC).” Sobre as acusação contra Trump, Cruz declarou:

“Jim, qualquer ‘denúncia’ sobre isso é fraudulenta sem reconhecer a flagrante ‘passada de pano’ da OMS para o PCC.”

Donald Trump Jr. também se manifestou na rede social e escreveu: “Talvez seja hora de mudar o nome da CNN para Xi NN. É muito mais apropriado.”