Papa Francisco critica ‘teoria de gênero’ que ataca ‘diferença’, em entrevista

A teoria, segundo o papa, "propõe implicitamente a destruição na raiz do projeto de criação de Deus para cada um de nós: a diversidade, a distinção"

265
Reprodução/AFP

Um livro-entrevista publicado na Itália destacou mais uma reflexão do papa Francisco sobre a “teoria de gênero”, que ataca a “diferença”. Na avaliação do pontífice, o conceito quer “tornar tudo homogêneo, neutro”.

“É o ataque contra a diferença, contra a criação de Deus, contra o homem e a mulher.”

Segundo o papa, a teoria “quer minar a Humanidade em todos os campos e em todas as variações educacionais possíveis”.

O papa considerou também que a teoria “propõe implicitamente a destruição na raiz do projeto de criação de Deus para cada um de nós: a diversidade, a distinção”.

Na publicação, o líder da igreja católica “afirma que suas observações não se referem de maneira alguma aos homossexuais, que são bem-vindos à Igreja Católica.”- como noticiou, ainda, o UOL.

“Minha referência é mais ampla e diz respeito a uma raiz cultural perigosa”, aponta o papa, que considera que a teoria é imposta “de cima por certos Estados como o único caminho cultural possível a ser seguido”.

“Não é apagando a diferença que vamos nos aproximar, mas é acolhendo o outro em sua diferença”, disse.