MEC abre processo para instituir cinco novos polos de inovação

Os novos polos vão ampliar e desenvolver pesquisas em inovação com intuito de aprimorar o mercado tecnológico do País

497
Reprodução/Agência Brasil

O Governo Federal vai credenciar cinco novos polos de inovação no Brasil. As inscrições para o processo de seleção já estão abertas. Podem participar do processo as Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica de todo o País. Os polos de inovação atuam no desenvolvimento de pesquisas e inovação para aumentar a competitividade e produtividade da economia nacional. As instituições da Rede Federal vão poder apresentar propostas até 27 de março no site da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). O resultado do processo de seleção está previsto para 10 de julho.

Os polos contribuem também na formação de alunos de educação profissional e tecnológica. A ação do Ministério da Educação (MEC) é fruto da parceria com a Embrapii.

De acordo com secretário de Educação Profissional e Tecnológica (Setec) do MEC, Ariosto Culau, a implementação dos polos é uma das ações previstas no programa Novos Caminhos, lançado em outubro de 2019. “Estamos começando o ano já materializando metas e desenvolvendo o eixo de empreendedorismo e inovação para estruturar e trazer referenciais bem-sucedidos”, disse.

As instituições selecionadas poderão solicitar até R$ 3 milhões, ao longo de três anos, para desenvolver e executar projetos de pesquisa, desenvolvimento e inovação em parceria com empresas industriais.

Programa Novos Caminhos

Lançado em outubro de 2019, o programa Novos Caminhos engloba um conjunto de ações para o fortalecimento da política de Educação Profissional e Tecnológica no País. O projeto prevê apoiar as redes federais e instituições de ensino, no planejamento da oferta de cursos alinhada às demandas do setor produtivo e na incorporação das transformações produzidas pelos processos de inovação tecnológica.

O Novos Caminhos visa, ainda, contribuir para o alcance da meta definida no Plano Plurianual 2020-2023, que é de elevar em 80% o total de matrículas em cursos técnicos e de qualificação profissional, alcançando 3,4 milhões de matrículas até 2023. Essa ampliação contribuirá para a inserção socioprodutiva de milhões de jovens e trabalhadores e também para alavancar a produtividade e competitividade de diversos setores da economia.

Com informações do Ministério da Educação