Cientistas criam pele artificial com sensibilidade para robôs

Eles serão capazes de detectar o contato, calor e proximidade, podendo revolucionar áreas como a enfermagem

31
Reprodução/TUM

Pesquisadores da Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, criaram o primeiro robô com pele sintética sensível. Eles serão capazes de detectar o contato, o calor e a proximidade.

Segundo os cientistas responsáveis por dar vida ao humanoide, essa tecnologia pode melhorar a relação entre robôs e pessoas.

O pesquisador Gordon Cheng explica que esse fato pode não ser muito importante no âmbito da indústria, mas pode ser revolucionário áreas como enfermagem e cuidado.

Com a pele sensível, que funciona com microssensores o contato acontece de forma mais precisa e segura, evitando acidentes.

Já que o simples abraço de um humanoide pode ser perigoso caso o aparelho não seja programado corretamente, devido a possibilidade do uso de força excessiva.

com informações EurekAlert*