domingo, março 7, 2021
Início Guerra Cultural Trump anuncia escritório da pós-presidência para continuar combatendo o 'establishment'

Trump anuncia escritório da pós-presidência para continuar combatendo o ‘establishment’

"A princípio, o foco principal do escritório será: dar continuidade aos processos de exposição da fraude eleitoral, organizar uma ferrenha oposição ao governo democrata e um ativismo público em prol das bandeiras conservadoras que estão ameaçadas sob a nova gestão", destaca Pedro Delfino

-

- Advertisement -

O ex-presidente Trump anunciou no dia de ontem a inauguração do que ele chamou de “escritório pós-presidencial” no condado de Palm Beach, Flórida, onde fica a sua mansão de Mar-a-Lago.

Se Joe Biden apressou-se em criar o bizarro “escritório do presidente eleito” antes mesmo de ser proclamado presidente oficialmente, apenas com o anúncio forçoso da mídia, com o objetivo de adiantar os feitos de sua futura administração, Trump, agora, sente-se no igual direito de criar o escritório da pós-presidência para manter vivos os feitos da sua antiga gestão. E ele está certo!

A medida tem a intenção de criar um “governo paralelo” para que Trump possa dar continuidade à sua agenda de interesse nacional, em todos os pontos em que a sua atual condição de pessoa comum permitir. O escritório contará com equipe de advogados, assessoria política e um staff de peso: tudo pago com o dinheiro do seu próprio bolso.

A princípio, o foco principal do escritório será: dar continuidade aos processos de exposição da fraude eleitoral, organizar uma ferrenha oposição ao governo democrata e um ativismo público em prol das bandeiras conservadoras que estão ameaçadas sob a nova gestão.

Duas outras possibilidades ainda estão no radar para o futuro da pós-presidência: uma com grande chance de acontecer, que é a criação de um terceiro partido, “Partido Patriota”; e a outra, ainda sob avaliação, que é a criação de uma empresa de telecomunicações a fim de impulsionar a exposição dos fatos e dar a Trump um canal direto de comunicação para com os americanos, driblando a censura das mídias sociais e o banimento do Twitter.

Todas essas iniciativas têm como meta recuperar o controle da Câmara e do Senado nas atualizações do meio de mandato, previsão para 2022, e preparação do caminho para a volta de Trump à presidência em 2024.

Com isso, ele pretende fazer valer as palavras do discurso de despedida da Casa Branca, quando afirmou: “Isso é só o começo de um grande movimento!”.

E aí, quem será que vai vencer essa queda de braço: o presidente da mídia ou o presidente do povo?

Washington ou Mar-a-Lago? O Establishment ou a América?

Pedro Delfino é especialista em História da Civilização Ocidental e História da Igreja Católica; autor do livro Mentalidade Atrasada, Nação Fracassada (que aborda temas como História, Filosofia e Política); do Curso de História Geral da Civilização Ocidental, do Curso de Excelência Catholica, do livro Via Sancta e é co-Fundador do Movimento Brasil Conservador.
contato: Canal no Telegram / Instagram @phdelfino / E-mail: contato@phdelfino.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

WhatsApp Receba as notícias do Relevante