Venda de 32 marcas de azeite são suspensas por fraudes

A falsificação do azeite era feita a partir da mistura com óleos de soja e outros óleos de origem desconhecida

Reprodução/Unsplash

O Ministério da Agricultura suspendeu a venda de 32 marcas de azeite de oliva devido denúncia de adulteração. Durante a fiscalização, 59 lotes foram encontrados com irregularidades.

Segundo os responsáveis pela Operação Isis, iniciada desde 2016, a falsificação do azeite era feita a partir da mistura com óleos de soja e outros óleos de origem desconhecida. A lista das marcas foram divulgadas pelo Ministério:

“Aldeia da Serra, Barcelona, Casa Medeiros, Casalberto, Conde de Torres, Dom Gamiero, Donana, Flor de Espanha, Galo de Barcelos, Imperador, La Valenciana, Lisboa, Malaguenza, Olivaz, Oliveiras do Conde, Olivenza, One, Paschoeto, Porto Real, Porto Valencia, Pramesa, Quinta da Boa Vista, Rioliva, San Domingos, Serra das Oliveiras, Serra de Montejunto, Temperatta, Torezani (premuim), Tradição, Tradição Brasileira, Três Pastores, Vale do Madero e Vale Fértil.”

A lentidão nesse tipo de processo ocorre devido às etapas de análise e exames laboratoriais, e outros procedimento administrativos e criminais, informa o InfoMoney.

O Coordenador de Fiscalização de Produtos Vegetais do Mapa, Cid Rozo, aconselha que os comerciantes verifiquem a procedência do azeite antes de renovar o estoque, pois os supermercados que comercializarem os produtos com irregularidades, eles serão penalizados.

com informações InfoMoney*