Porta dos Fundos merece resposta?

O questionamento feito em vídeo, pelo grupo “Hipócritas” à produção de Fábio Porchat, repercute na internet

451
Reprodução/Hipócritas

Desde o seu lançamento, o curta “A Primeira Tentação de Cristo” gera impasse e movimentos contrários à sua exibição. A produção do “Porta dos Fundos”, que aponta uma suposta relação homossexual entre Jesus Cristo e o Diabo, já rendeu à plataforma de filmes Netflix campanhas on-line de boicote.

A veiculação do filme em questão chegou a ser proibida após decisão da Justiça do Rio de Janeiro. No entanto, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, voltou a autorizar a exibição.

Porta dos Fundos merece resposta?

A pergunta intitula um vídeo produzido recentemente pelo grupo de comédia Hipócritas, que só no YouTube já possui mais de meio milhão de visualizações. Com milhares de seguidores nas redes sociais, o grupo ganhou ainda mais repercussão nas plataformas digitais ao contextualizar como os ensinamentos deixados por Cristo ainda são “deturpados”.

Sobre a produção do Porta dos Fundos, os Hipócritas consideraram: “Jesus não precisa ser defendido. Mais do que uma resposta ao Porta dos Fundos, o nosso vídeo foi um recado e um conforto para tanta gente que se sentiu mal.”

“Pelas convicções que temos, consideramos esse tipo de comédia que debocha de Jesus, uma tentativa recorrente da sociedade atual de deturpar a pessoa e a mensagem de Cristo. Somos contra a peça artística, mas consideramos que o boicote é mais válido do que a censura por meios jurídicos”, disse o grupo.

Os integrantes ressaltam que a história de Cristo prevalece. “Pode passar o tempo que for, podem ser feitas as críticas que forem, pode se levantar a oposição que for, pois tudo isso vai passar: homens, ideias e ideologias, mas Jesus e Sua palavra são eternos e jamais passarão.”

Grupo Hipócritas

Em seu canal no YouTube, o grupo traz reflexões sobre temas polêmicos discutidos na atualidade. “O feedback que temos do nosso público é de que dizemos o que eles gostariam de dizer e representamos um pensamento oposto ao establishment, que era uma lacuna no entretenimento atual.”

Idealizado por Paulo Souza, o grupo tem ainda em sua formação mais dois integrantes: Bismark Fugazza e Augusto Pacheco. Todos possuem uma visão conservadora e cristã, mas preferem não se rotularem com um canal de direita.

“Costumamos dizer que nossas convicções cristãs nos levam naturalmente a termos posições conservadoras, que são expressas consequentemente em nossos vídeos. Mas nossa forma de abordagem não é definitiva e consideramos expandir os temas para questões menos ou não ideológicas, conforme decidirmos internamente. ”

Confira o vídeo: