Comportamento O verdadeiro genocida será mesmo o Bolsonaro?

O verdadeiro genocida será mesmo o Bolsonaro?

Já dizia George Orwell na obra 1984: “Para controlar um povo e tomar o poder, tem que conhecer os seus medos. E o maior medo das pessoas é o medo da morte. Quando se tornam escravos do medo, é fácil convencê-los de que o Estado irá salvá-los” - Novo artigo de Pedro Delfino

-

- Advertisment -

“De fato, praticamente em todos os lugares as taxas de infecção diminuíram após a reabertura. Isso significa que a pandemia e a Covid-19 provavelmente têm sua própria dinâmica não relacionada a medidas de lockdown frequentemente inconsistentes que estavam sendo implementadas”. Essa é uma declaração dada por Marko Kolanovic, chefe global de pesquisa quantitativa da J.P. Morgan, responsável pela publicação de um relatório completo sobre os dados da pandemia.

Segundo ele, a taxa de infecção em países como a Dinamarca e a Alemanha, por exemplo, continuaram estáveis mesmo depois da reabertura desses países, o que coloca em dúvida a tese de que o fechamento era necessário para se conter a curva. Do mesmo jeito, países que adotaram lockdowns severos como Peru e Argentina, mesmo assim, tiveram uma explosão na taxa de infecção, mostrando que talvez essa medida não seja tão eficiente quanto se tenta vender. Aqui no Brasil, São Paulo, o estado-líder da histeria pandêmica, igualmente, é o absoluto recordista de mortes; e o Rio de Janeiro, que decidiu decretar um período de três semanas de comércio e atividades totalmente fechadas, logo em seguida bateu o seu recorde de casos. Como explicar?

Não é a minha intenção aqui tomar partido a favor ou contra o lockdown, mas, sim, mostrar que NÃO HÁ CONSENSO. Reflita: se você tivesse um posicionamento bem definido diante de uma controvérsia e, ao mesmo tempo, o monopólio da informação, você teria que ser muito honesto e ético para não usar essa influência a fim de fazer com que as pessoas pensem como você, certo? Pois é isso que a mídia vem fazendo (por motivos ideológicos e políticos), uma vez que de ética e honestidade já sabemos que ela não tem nada. Ela mostra apenas aquilo que ressalta a necessidade do lockdown, fazendo parecer que se trata de um consenso firmado e que os discordantes não passam de negacionistas retrógrados, e esconde de todos  nós as inúmeras evidências de que essa questão não está fechada entre os cientistas.

Apesar disso, existe um efeito — aí sim — inegável, em relação às restrições, que é a destruição da economia e o aumento da pobreza. Quanto a isso, os estudos não são nada relativos: todos concordam que a pobreza aumentou e muito durante a pandemia. A própria Globo, em seu portal G1, publicou em 17/04/2021, a matéria de título “Classe média encolhe na pandemia e já tem o mesmo tamanho da classe baixa”. Ou seja, estamos todos ficando mais pobres com o aumento do desemprego, da fome, dos moradores de rua, dos pedintes etc.

Isso quer dizer que existem duas consequências a respeito do lockdown: uma factual, que é o aumento exponencial da pobreza, e outra apenas hipotética, que é a suposta e contestável redução dos casos. Sendo assim, faz algum sentido apostar todas as nossas fichas numa solução que contempla a consequência hipotética e duvidosa ao mesmo tempo em que despreza a consequência factual e certa? Para mim não faz.

No entanto, isso não quer dizer nada, pois os responsáveis por armar esse circo nunca estiveram interessados em lógica, em fatos ou em descobrir a solução de melhor custo-benefício para o país, mas, sim, em adotar a solução de maior custo (sem benefício) para o país, já que a ideia sempre foi fazer com que governadores, prefeitos e ministros do STF se unam para fomentar o caos até onde puderem e, depois, contar com a ação da mídia para fazer com que esse “custo” caia na conta do Presidente.

É claro que a tal CPI, que inventaram para investigar o Bolsonaro, não vai investigar as compras superfaturadas de respiradores, o fechamento precoce dos hospitais de campanha, os equipamentos novos escondidos em parede falsa, a infinidade de casos de mortes atribuídas ao Covid indevidamente, as mentiras em rede nacional sobre os dados oficiais, as decisões políticas do Supremo, a negação do tratamento precoce, a proibição arbitrária de medicamentos, a lentidão na aplicação das vacinas compradas pelo governo federal… Isso porque, assim como o lockdown não tinha como objetivo solucionar o problema de fato, mas afundar a nação na crise, essa CPI também não tem como objetivo encontrar os verdadeiros “genocidas”, mas apenas pintar a caveira do Presidente visando 2022.

Já dizia George Orwell na obra 1984: “Para controlar um povo e tomar o poder, tem que conhecer os seus medos. E o maior medo das pessoas é o medo da morte. Quando se tornam escravos do medo, é fácil convencê-los de que o Estado irá salvá-los”. Por fim, assim como no livro, na vida real também acontece dos verdadeiros tiranos criarem o caos a fim de se apresentarem depois como a solução para os nossos medos, tendo como único objetivo a conquista dos instrumentos necessários para concluir os seus projetos de poder.

Pedro Delfino é especialista em História da Civilização Ocidental e História da Igreja Católica; autor do livro Mentalidade Atrasada, Nação Fracassada (que aborda temas como História, Filosofia e Política); do Curso de História Geral da Civilização Ocidental, do Curso de Excelência Catholica, do livro Via Sancta e é co-Fundador do Movimento Brasil Conservador.
contato
Canal no Telegram
Instagram @phdelfino 
E-mail: contato@phdelfino.com

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Últimas notícias

Cansei! A juventude esquerdista tem que acabar

Sou jovem, mas tenho vergonha da juventude atual. Cansei de jovens cujos ídolos são ladrões, invasores de...

Bolsonaro lança programa habitacional para profissionais da segurança pública

Mais perto da casa própria. Profissionais da área de segurança pública passam a contar com programa que...

Reflexões sobre uma possível Intervenção Militar

Art. 142 da Constituição Federal:“As Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, são instituições...

E se o PT voltasse ao poder?

Muitos têm se perguntado como seria um governo petista 2.0, numa eventual volta ao poder nas eleições...
- Advertisement -

Bolsonaro pede fim das prisões políticas e dá última oportunidade para Alexandre de Moraes se redimir

O discurso de Bolsonaro na Esplanada dos Ministérios (que você pode ler na íntegra aqui) já deu...

Em discurso histórico, Bolsonaro diz que o “momento chegou”

Eu sei que muitos estavam esperando por este dia. Desde o dia 1º de agosto, quando o...

Você deve ler isso...

Cansei! A juventude esquerdista tem que acabar

Sou jovem, mas tenho vergonha da juventude...

Bolsonaro lança programa habitacional para profissionais da segurança pública

Mais perto da casa própria. Profissionais da...
- Advertisement -

Você pode gostar tambémRELATED
Recomendado para você

WhatsApp No WhatsApp