Início Colunistas Você tem raiva do quê?

Você tem raiva do quê?

A raiva é uma evidência de que seus limites foram quebrados, de que suas necessidades não foram atendidas

-

Talvez a raiva seja a emoção mais difícil de lidar. Com certeza você conhece histórias de pessoas que, movidas a raiva, cometeram grandes erros na vida. E, convenhamos, não é nada agradável ficar perto de uma pessoa que se ira facilmente: parece que você tem que ficar “pisando em ovos” o tempo todo.

Meu propósito com esse artigo é te ajudar a lidar melhor com a sua raiva, de forma que não te adoeça e nem mine seus relacionamentos pessoais e profissionais.

A primeira pergunta que quero fazer é: você sabe identificar quando está com raiva? Digo isso porque, por inúmeras vezes, lidei com pessoas que não percebiam. Elas alteravam o tom de voz, franziam as sobrancelhas, enfim, mudavam toda a linguagem corporal, mas não sabiam que estavam com raiva. Você com certeza já presenciou alguma situação em que alguém pedia a outra pessoa que se acalmasse e baixasse o tom de voz e a outra retrucava “EU NÃO ESTOU NERVOSO!”.

É muito importante que você não esconda de si mesmo o fato de estar com raiva. Nomear o que estamos sentindo nos possibilita exercer algum poder sobre a própria emoção. Se não consegue dizer a si mesmo “estou com raiva”, é muito mais provável que você seja controlado por ela. Reconhecê-la te oferecerá maior liberdade, pois a partir daí poderá pensar em não agir com base nela.

Após perceber que se está com raiva, o próximo passo é saber o que fazer com essa emoção. Devemos extravasá-la totalmente ou guarda-la para si mesmo? Nenhuma das duas opções. Quando se trata de ser humano, nenhum extremo é saudável.

A expressão livre da raiva tende a acarretar mais raiva ainda no futuro. Não acredite que socar um saco de areia, gritar, chutar algum móvel ou algo semelhante te ajudará. Pelo contrário, as explosões de raiva estimulam ainda mais os circuitos neuronais encarregados da mesma, deixando ao longo do tempo as pessoas mais iradas, e não menos.

E tem outro prejuízo que é muito significativo: o relacional. Se você já viu alguém explodindo de raiva, tenho certeza que não foi nada agradável. O clima no ambiente ficou pesado. Palavras ríspidas foram ditas. O relacionamento certamente ficou pior depois dessa liberação irrestrita de raiva.

Por outro lado, não expressá-la pode levar a deterioração da saúde física e mental. Muita gente acredita que a emoção mais presente na depressão é a tristeza. Mas não é! A raiva voltada contra si mesmo é o que está mais presente nas pessoas depressivas. Se ela não tem um alvo, ela se volta contra si mesmo.

Feita essas considerações, a melhor forma de lidar com a raiva é liberá-la aos poucos, de forma que não se acumule.

É essencial que você compreenda o porquê de estar com raiva: isso é fundamental para que você lide corretamente com ela. Quem te deixou irado e o que fez? Recentemente conversei com uma mulher que relatou estar muito impaciente. A princípio, não sabia dizer o porquê. Após um tempo de diálogo conseguimos encontrar a causa de todo aquele mau humor.

Não é o momento de conversar se você estiver muito irado. Procure se acalmar antes e, somente então, procure uma ocasião propícia para conversar com quem te chateou, se for o caso.

Fale dos comportamentos e não da pessoa em si: ao invés de dizer que ela é irresponsável, por exemplo, diga-lhe que o fato de ela não ter cumprido com a própria responsabilidade te deixou chateado. Evite utilizar adjetivos para se referir ao outro: isso desgasta a relação e pode não resolver o problema.

A raiva é uma evidência de que seus limites foram quebrados, de que suas necessidades não foram atendidas. Espero que você possa ter uma vida mais bem humorada e leve.

Até o próximo artigo!

Otávio Guimarães (Colunista) É psicólogo e psicoterapeuta. Ajuda pessoas a se encontrarem na vida e obterem dela mais satisfação.
Instagram: @psiotavioguimaraes

WhatsApp Receba as notícias do Relevante