Coringa: Herói de uma ideologia construída na polarização extrema, caoticismo e desordem

Cada um acha que está fazendo o certo carregando dentro de si, nada mais nada menos, do que muitas “faltas e carências”

573
Reprodução/Coringa

Se você ainda não assistiu, não leia! Muito além da belíssima performance do ator Joaquin Phoenix, que filme!

Cheio de mensagens subliminares que nos chamam muita atenção! Falta de “paternidade”, de referenciais, de abusos de todo tipo. Um ambiente de discórdia, polarização extrema, e falta de humanidade para com o próximo que abre brecha para a perfeita instalação do caos e da anarquia (a Gotham de todo filme do Batman que não sabíamos até então como havia chegado à esse ponto).

Nesse ambiente, um ser humano cheio de problemas de toda natureza que buscava “acolhimento”, pouco a pouco se consolida num enorme psicopata. O filme é denso, forte e violento; porém nos traz à reflexão sobre vários aspectos mais atuais do que nunca! Sem contar com a brilhante construção cronológica que vai resultar na saga do Batman.

Uma criança (Bruce), que vê seus pais brutalmente assasinados em sua frente, no mesmíssimo ambiente já relatado acima. Culminando assim na construção de uma figura oposta à do Coringa, mas ao mesmo tempo “semelhante”. Um justiceiro violento e frio forjado no caos. Sem pais, sem referencial de família e amor, porém com dinheiro, recursos e muita sede de vingança e “justiça”, que ele mesmo se propõe a executar com as próprias mãos. Qual a diferença dos dois? Pois cada um é herói de uma ideologia construída na polarização extrema, no caoticismo e na desordem.

Cada um acha que está fazendo o certo carregando dentro de si, nada mais nada menos, do que muitas “faltas e carências”.

Resolvi “filosofar” aqui somente trazendo minhas humildes reflexões pessoais do filme. O espaço é livre para discordâncias e debates. Longe de mim achar que minha visão do filme é a certa! Mas que me fez refletir muito em várias coisas do mundo de hoje, fez! Quis externar… Sinta-se livre pra deixar sua opinião nos comentários…

Thiago Jarjour (Colunista) Vice-presidente da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas e Embaixador da Campus Party. Ex-secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal