A primeira necessidade básica da criança

A colunista Débora Paes aponta necessidades básicas de grande importância nos primeiros anos de vida quando a identidade do ser humano está sendo formada

330
Tales Paes

Criar filhos nunca foi uma tarefa fácil e nos dias atuais ficou ainda mais desafiador.

Eles estão cada dia mais expostos a novos conhecimentos, novas tecnologias e novas estruturas familiares, tudo muito diferente daquilo que nós, como pais, vivemos em nossa infância. 

Porém, algumas necessidades básicas do ser humano permanecem as mesmas e atravessam gerações. Essas necessidades básicas estão presentes tanto na vida das crianças como na dos adultos.

Estudos apontam que a satisfação dessas necessidades básicas é de suma importância nos primeiros anos de vida quando a identidade do ser humano está sendo formada.

Segundo o psiquiatra americano Karl Menninger, a não satisfação dessas necessidades básicas faz com que tenhamos uma dessas duas reações:

1 – Reação de fuga

Quando nos fechamos para o mundo e nos concentramos apenas em nós mesmos.

2 – Reação de conflito

Quando partimos para o conflito e nos tornamos agressores dos demais.

A primeira necessidade básica que devemos suprir na vida dos nossos filhos é a necessidade de SEGURANÇA.

A criança precisa se sentir segura e muitas vezes ela se agarra a um cobertor, a um ursinho de pelúcia ou uma boneca de pano como símbolo dessa segurança.

Porém, algumas situações ao invés de suprir essa necessidade de segurança geram uma profunda insegurança. Mas, que situações são essas? Seguem alguns exemplos: conflito entre os pais, muitas mudanças (de casas, de cidades, de países, de escolas), falta de disciplina adequada, ausência dos pais, um ambiente de críticas constantes, pais inseguros. A lista é ainda mais extensa.

Mas, eu quero me concentrar em 3 condições fundamentais para suprir a necessidade de segurança da criança.

1 – Segurança entre o pai e mãe:

O amor que o pai e a mãe têm um pelo outro é a mais importante de todas.

A criança deve sentir o amor, a confiança e a lealdade que os pais têm entre si.

Isso não significa que os pais não possam ter divergências de opiniões, porém mesmo nesses momentos o amor e o respeito devem prevalecer.

2 – Amor incondicional dos pais pelo filho:

A criança se sente amada ao ser cuidada, abraçada, ouvida, elogiada.

O amor ajuda a criança a superar dificuldades e enfrentar desafios.

3 – Sentimento de pertencimento:

Esse sentimento é muito forte e profundo no ser humano. A criança quer fazer parte de uma família, de uma equipe, de um grupo de amigos. Se ela não se sentir pertencente com certeza ficará insegura. Quando uma criança sente que pertence à sua família e é valorizada nela, ela se sentirá aceita, amada e valorizada pelos outros.

A criança se sente pertencente à sua família quando eles fazem coisas juntos, quando suas opiniões são valorizadas, quando responsabilidades lhe são confiadas, quando ela participa das experiências familiares, tanto as ruins quanto as boas e quando orações são feitas a seu favor.

É importante ter em mente que a segurança emocional e espiritual é muito mais importante do que a segurança econômica e física.

Existem outras formas de suprir a necessidade de segurança da criança, mas eu não quero estender muito a lista para incentiva-lo a começar a trabalhar nesse sentido.

Supra a necessidade de segurança de filho hoje para que você possa ver no futuro um adulto bem resolvido e seguro em suas decisões.

Até o próximo artigo!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2019-04-24-at-16.48.04.jpeg


Débora Paes (Colunista) Master Coach de Inteligência Emocional certificada pela Federação Brasileira de Coaching Integral Sistêmico. Atuando como Personal Coach, Business Coach, Palestrante e Trainer desde 2015. Analista de Perfil Comportamental com certificação avançada em SOAR Communication Profile pelo SOAR Global Institute – Florida – EUA.