Início Colunistas A Esquerda não se cansa de demonstrar sua incoerência patética

A Esquerda não se cansa de demonstrar sua incoerência patética

A bola da vez é o Ministro da Infraestrutura Tarcísio de Freitas

-

Vejam bem, ele está sendo “massacrado” pela Esquerda e pela grande mídia por estar “concluindo obras inacabadas dos governos anteriores”. Isso me fez lembrar uma história contada pelo meu avô:

“Havia um famoso médico em uma certa cidadezinha do interior. Como era o único médico da região, era também muito respeitado e rico.

O importante médico morava na mais linda casa da cidade e tinha um filho que acabara de se formar no exterior, também em medicina. Certa vez, o médico, que nunca havia tirado férias, resolveu viajar pela Europa com a esposa, e para isso deixou o seu recém formado filho em seu lugar.

Depois de 2 meses o médico voltou de viagem e foi logo perguntando ao filho como ele se virou, na sua ausência.

O filho lhe respondeu feliz: – Correu tudo bem, meu pai. Sabe aquele fazendeiro que tinha uma ferida na perna que nunca curava? Pois bem, mudei o tratamento e em 2 semanas a ferida se fechou.

O pai lhe respondeu irritado:

– Seu burro, como você acha que construí essa casa, paguei sua faculdade no exterior e viajei pra Europa? Receitando Dorflex?
Você acabou com a nossa principal fonte de renda curando essa ferida.”

Agora vamos voltar à realidade. Foi mais ou menos isso que aconteceu com a “conclusão” da transposição do São Francisco, por exemplo. Obra sob a responsabilidade do Ministério de Desenvolvimento Regional.

Quantas famílias de “coronéis” ficaram sem o seu ganha pão? Quantas lucrativas empresas de carros-pipa foram fechadas?

Seria esse um dos motivos da grande insatisfação com o governo Bolsonaro e seus competentes ministros?

Da mesma forma que atacaram o ministro Rogério Marinho, na transposição do Velho Chico, viraram agora as metralhadoras para o ministro Tarcísio.

O Ministério da Infraestrutura entregou, somente no primeiro semestre, 36 obras por todo o Brasil. A previsão é que entregue mais 33 obras até o fim do ano.

Das 36 obras concluídas no primeiro semestre, 23 foram entregues entre Março e Junho, justamente durante a pandemia. Ainda sobrou tempo para o transporte de 185 milhões de máscaras para auxiliar no enfrentamento ao novo coronavírus, entre outras coisas como concessões e leilões.

Duplicou e pavimentou rodovias, construiu pontes, reformou aeroportos e portos e agora está partindo para a malha ferroviária que cruzará o país de norte a sul e de leste a oeste. O transporte aquaviário também não está sendo esquecido.

Quantas “feridas” serão fechadas?
Quantas “tetas” serão secadas?
Quantos “cotovelos” estarão doendo?

Infelizmente a grande mídia não divulga essas obras e a satisfação dos caminhoneiros e da população beneficiada. Preferem as “picuinhas e fofoquinhas”.

Está também fazendo falta nas pautas dos telejornais, as noticias de corrupção e contratos superfaturados nessas obras. Grande parte delas executadas pelo Exército Brasileiro.

Tem empreiteiro por aí que já deve ter feito até “boneco de voodoo” do ministro.

Pela primeira vez na história, alguém é criticado por ser eficiente e honesto. Esse é o Brasil.

Talvez seja essa a nossa última chance. Pensem nisso!

O atributo alt desta imagem está vazio. O nome do arquivo é WhatsApp-Image-2020-08-28-at-16.22.04.jpeg

Nelson Fonseca (Colunista) É profissional de TI aposentado, de direita, conservador, patriota e cristão. Atualmente luta, incessantemente, contra o Comunismo e a degradação social e dos conceitos cristãos.

WhatsApp Receba as notícias do Relevante