Início Brasília Ateus acionam a justiça para impedir construção de Museu da Bíblia em...

Ateus acionam a justiça para impedir construção de Museu da Bíblia em Brasília

Tribunal de Justiça acolheu parcialmente a ação civil e pede esclarecimentos ao GDF sobre obras

-

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) determinou que o Governo do Distrito Federal (GDF) justifique a construção do Museu da Bíblia. A estimativa é que a obra tenha R$ 80 milhões desembolsados em emendas parlamentares.

A Associação Brasileira de Ateus e Agnósticos (Atea) protocolou a ação civil acolhida parcialmente pela justiça. O governo tem o prazo de 5 dias para prestar esclarecimentos sobre as obras que tomariam lugar no canteiro central do Eixo Monumental, próximo ao Setor Sudoeste da cidade.

A organização questiona o uso de recursos públicos e ainda a doação de um terreno de 10 mil metros quadrados para o monumento. “É uma afronta ao povo do Distrito Federal e ao povo brasileiro que sejam destinadas vultuosas quantias de dinheiro público, além de um terreno, para atender interesses privados de segmentos religiosos e que possui poder e influência junto ao GDF e ao Congresso Nacional”, alegou a Atea.

Que justificou a abertura do protocolo para impedir a construção do museu: “Com R$ 80 milhões [total de emendas parlamentares que estimam-se serem destinadas à obra], o GDF poderia construir milhares de casas populares, postos de saúde, hospitais, creches e etc, atendendo toda a população, não apenas os ‘fiéis’ de determinadas crenças religiosas, ainda que majoritárias no espectro brasileiro, ressaltando que não é papel do Estado construir monumentos religiosos, em razão de manifesta vedação constitucional”, defende-se no texto da ação.

Suspensão das obras

Uma liminar pode suspender as obras do Museu da Bíblia e os procedimentos administrativos e licitatórios. Caso o Tribunal acolha a denúncia, poderá haver a determinação de pagamento de multa diária no valor de R$ 80 mil pela continuidade do projeto, cerca de 0,1% do valor estimado da obra.

O juiz Paulo Afonso Cavichioli Carmona, da 7ª Vara de Fazenda Pública de Brasília, afirmou que irá ouvir os acusados antes de supostamente atender a todas as exigências da Associação. Cavichioli também pediu que o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) se manifeste no mesmo prazo de 5 dias.

“Tendo em vista a natureza e importância da controvérsia posta nesta ação civil pública, tenho por bem ouvir os réus antes de apreciar a providência liminar requerida pela parte autora. Desse modo, notifiquem-se os réus para que tomem ciência desta decisão e prestem as informações pertinentes, no prazo de 05 (cinco) dias”, escreveu.

Museu da Bíblia

O governador Ibaneis Rocha retomou o projeto em 2019 junto a autorização para aplicar recursos de emendas parlamentares na construção. De acordo com o GDF, cada parlamentar destinaria cerca de R$ 500 mil por ano para conclusão. A estimativa é que o edifício fique pronto em 2022 com capacidade para receber 100 mil visitantes ao ano.

FONTEGuia Me

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

WhatsApp Receba as notícias do Relevante