Início Brasil Perícia confirma que porteiro mentiu para prejudicar Bolsonaro no caso Marielle

Perícia confirma que porteiro mentiu para prejudicar Bolsonaro no caso Marielle

Laudo da Polícia Civil foi divulgado hoje (11)

-

Nesta terça-feira (11), a Polícia Civil concluiu que a voz que autorizou a entrada do ex-policial militar Élcio de Queiroz no condomínio Vivendas da Barra, no Rio de Janeiro, não é do funcionário que cita o presidente Jair Bolsonaro em depoimento.

O ex-policial é acusado de participar do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em 2018.

Segundo divulgado pelo Jornal o Globo, o laudo da Polícia Civil aponta que “não foi constatada nenhuma edição no áudio da portaria e que quem deu autorização para a entrada de Queiroz no condomínio foi o policial reformado Ronnie Lessa.”

Depoimentos

Durante depoimento, o porteiro disse que Bolsonaro tinha autorizado a entrada de Queiroz no condomínio no dia da execução da vereadora. No entanto, as investigações apontaram que Bolsonaro estava em Brasília naquele dia.

FONTETerra
WhatsApp Receba as notícias do Relevante